ABNT sem mistérios

ABNT

ABNT sem mistérios

Tamiles Cavalcante
Escrito por Tamiles Cavalcante
5 min de leitura
Junte-se a muitos outros alunos

Entre para nossa turma e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Fala pessoal, tudo bem?

Se você é daqueles que quando ouve falar na sigla ABNT já treme na base e fica morrendo de medo de ser reprovado por não entender coisa alguma sobre normatização de pesquisa científica, então você veio a post certo!

Inicialmente quero que você saiba que é comum que a maioria dos estudantes esbarrem nas regras da ABNT e isso gere um travamento nas suas produções científicas apenas pelo simples fato de colocarem na cabeça que ABNT é coisa feita para gerar problema. Juntamente com essa mentalidade os alunos criam uma ideia tão ruim sobre o tema que odeiam qualquer coisa que remeta a ele, por isso tem como matérias mais detestadas: Metodologia da Pesquisa Científica, Estágio Supervisionado e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Embora isso seja um fato entre os alunos eu quero falar que não precisa fazer esse alarde todo, pois até me arrisco a dizer que a ABNT ajuda a maioria das coisas a funcionarem harmonicamente em nosso País! Vamos entender, afinal, do que se trata?

O QUE É ABNT, DE FATO?

Primeiramente a Associação Brasileira de Normas Técnicas, que deste momento em diante trataremos apenas por ABNT mesmo, segundo seu próprio site (você pode conhecer mais em “A história da ABNT em detalhes“) é uma entidade privada e sem fins lucrativos, é o Foro Nacional de Normalização do País, criada em 1940 e é responsável pela elaboração de normas técnicas em diversos setores do Brasil, atuando também nas áreas de conformidade e certificação.

Antes de continuar no assunto TCC, quero dar um exemplo muito fácil de entender essa normatização: os tamanhos de roupas! Elas são feitas nessas medidas (P, M e G, ou por faixas etárias) porque existe uma norma técnica da ABNT que diz exatamente qual o tamanho que deve ser uma roupa P, qual tamanho deve ser uma roupa G, bem como, quais medidas deve ter uma roupas para meninas de 10 anos, e por aí em diante. Assim, embora haja algumas alterações (pois nada é perfeito), podemos observar que as coisas seguem uma padronização e isso faz com que tudo funcione harmoniosamente.

Veja que isso só é possível, porque existem normas técnicas que padronizam os diversos setores no Brasil e no mundo. Para nós, a responsável é a ABNT. É por isso que há uma broca certa, para furar o buraco de um determinado parafuso; Por causa da normalização.

Logo, para as produções científicas, não seria diferente, vejamos o motivo no tópico seguinte.

A ABNT NOS TCCs

À primeira vista, acredito que neste ponto você deva estar se perguntando “o que isso tem a ver com meus trabalhos da faculdade?”. Tem muito a ver!! A normalização para produções científicas faz com que haja um padrão a ser seguido e isso facilita avaliações, bem como, facilita as produções. Imagine se cada um de nós fizesse as pesquisas do jeito que acha melhor, configurasse do jeito que considera mais “bonitinho”, desta forma ficaria difícil de julgar a exatidão de um trabalho assim.

O que ocorreria é que ninguém teria parâmetros de produção, bem como de correção e é aí que entra a ABNT; ela informa qual o grau de padrão que a produção deve conter para ser considerada como pesquisa válida, para poder ser avaliada entre 1 e 10, etc. Logo, podemos dizer que a qualidade dos trabalhos está diretamente ligada ao cumprimento de determinadas exigências.

E sob esse mesmo ponto de vista isso ajuda a manter uma equidade nas avaliações, pois todos os alunos devem obedecer aos requisitos fazendo com que as pesquisas fiquem ainda melhores e, assim também, para podermos enxergar pontos cruciais da pesquisa de maneira mais fácil e mais coerente.

Em síntese, a ABNT ajuda ok? Quanto mais familiarizado você estiver com ela, melhores serão seus resultados e mais clareza na produção científica você terá.

Agora vamos ver como deve ser um trabalho segundo as orientações da ABNT. Observe a estrutura abaixo:

ELEMENTOS PRÉ TEXTUAIS:

Capa (Obrigatório)

Folha de Rosto (Obrigatório)

Folha de aprovação (Obrigatório)

Epígrafe (Opcional)

Agradecimentos (Opcional)

Dedicatória (Opcional)

Sumário (Obrigatório, para o caso de monografias)

ELEMENTOS TEXTUAIS

Introdução: Envolve todos os aspectos

Desenvolvimento

Conclusão

ELEMENTOS PÓS TEXTUAIS

Referências

Apêndices

Anexos

 

Enfim, você pode ver como não tem mistério! Mas não se preocupe, eu ainda vou contar pra você tudo que cada um desses elementos tem que ter! E não se desespere quando encontrar por aí uma introdução de um jeito, outra de outro, a metodologia após a introdução, a metodologia após o referencial teórico! Vou te explicar tudo! Para não perder nossos conteúdos de vista, não deixe de subscrever o seu e-mail para receber tudo em primeira mão e ficar sempre por dentro!

Gostou deste post? Foi útil para você? Nos conte abaixo nos comentários! Não esqueça de deixar suas dicas, críticas, sugestões e, principalmente, suas dúvidas para que possamos responder e ajudar outras pessoas também! Até a próxima!

 

See youuuu!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários. E se tiver dúvidas, deixa sua pergunta.

Deixe uma resposta